Anúncios online, patrocínio de links e cliques

Neste artigo vamos falar do recurso aos marketplaces, aos anúncios online, ao patrocínio de links, ao pagamento dos cliques, e à escolha das palavras chave.

Marketplaces

Onde é possível comprar na Web os seus produtos? Certo, na sua loja online! E além da sua loja online? Nunca pensou promover, de uma forma proactiva os seus produtos na Web? Porquê limitar-se à sua loja, se existem outros canais onde pode promover e colocar os seus produtos à venda? Ah, compreendo, a sua loja online não se integra com os mercados online e as principais tecnologias utilizadas, tais como E-Bay, Froogle, Kelkoo e Pangora, entre outras.
Certamente já pensou nas oportunidades e negócios que perdeu por não ter em conta a relevância dos mercados online. O princípio é simples: os cibernautas iniciam as compras através de uma pesquisa na Web – por exemplo, através do Google ou de outros motores de pesquisa.

Pelo menos em mais de 80 por cento dos casos, a procura de um produto ou serviço começa assim. Devido à sua visibilidade, os mercados online aparecem no tipo de listas dos resultados. Por isso, se colocar o seu produto no mercado online, por exemplo, no ebay, não se trata apenas de mais uma oportunidade, mas sim de uma duplicação das oportunidades. A sua plataforma de comércio electrónica deve permitir a integração com os mercados online, de forma a permitir uma exportação simples dos produtos para estes mercados online.

Anúncios online: exemplo Google AdWords

A presença dos seus produtos nos mercados online não significa que não precisa de promover a sua loja online.

A indexação bem implementada e a definição de palavras chave é um bom princípio para não aparecer nas últimas páginas de uma pesquisa efectuada por um utilizador. No entanto, a meta também não é a penúltima página, mas sim a primeira, onde queremos ser referenciados. Como exemplo prático, podemos recorrer ao seguinte caso: uma cliente pretende comprar um software para construir uma loja online (uma loja electrónica) e inicia a sua pesquisa na Web escrevendo “lojas”. O motor de pesquisa responde em 0,04 segundos com mais de 28 000 000 páginas. Afinando a pesquisa pela expressão “lojas on line”, reduz o resultado para 1 380 000 páginas. Se a nossa loja não aparecer nas primeiras três páginas, não há motivo para desesperar.

Neste caso, a boa prática para melhorar o resultado chama-se “pagar”. Basta creditar um valor moderado ao dono do motor de pesquisa, e já aparecemos com a nossa loja na primeira página, nomeadamente no topo ou na coluna direita, por baixo dos links patrocinados. Os “links patrocinados” são, na realidade, os “AdWords”, uma vez que efectua a associação da nossa campanha de publicidade a palavras chaves, e a campanha paga-se como de fosse um banner de publicidade.

Patrocinar links com AdWords

Digamos que nós vendemos websites e lojas online através de um website, e pretendemos conquistar o primeiro lugar dos links patrocinados, de preferência o lugar no topo da coluna principal. Já efectuámos o registo e durante o registo especificamos o título e uma breve descrição (aconselhamos ensaiar isto antes em Word e contar bem o número de caracteres). Também definimos um conjunto de palavras chave – naturalmente aquelas que os nossos potenciais clientes irão utilizar com maior probabilidade. No nosso caso, “loja online” e “websites” seriam uma boa aposta. Depois obtemos um anúncio semelhante a este exemplo.

Pagar clique por clique

Chegámos assim à altura de entrar em verdadeira competição e conquistar o primeiro lugar.

Como já sabe, tudo se paga. Neste caso, paga-se cada clique efectuado no link do nosso anúncio, designando-se esta forma de pagamento por CPC (cost-per-click). E qual é o valor CPC? Depende! Depende da palavra chave, uma vez que o custo máximo por clique é definido por cada CPC, normalmente 0,10 euros. As mais utilizadas apresentam um valor superior – algumas podem custar 0,80 euros.

Por outro lado, quanto mais os seus concorrentes e outros anunciantes investem em cada clique, mais elevado o valor que deverá especificar para as suas palavras chave. Complicado? Nem por isso, graças às ferramentas de monitorização. Vejamos um exemplo.

Jogar póquer com palavras chave

Já sabemos que, para um bom posicionamento do nosso anúncio, temos de pagar um valor superior ao dos nossos concorrentes e investir nos links mais relevantes. Com alguma regularidade, devemos consultar a ferramenta de gestão de anúncios e afinar os valores. Analisemos durante um determinado período, digamos dois meses, o caso da palavra chave “loja online”.

* Keyword: Nesta coluna estão listadas as palavras chave da nossa campanha – neste exemplo mostramos apenas uma, “lojas online”.
* Current Bid – Max CPC: Indica o valor máximo actual que queremos pagar por clique.
* Clicks: Indica os cliques efectuados no link da nossa campanha no período em questão.
* Impr.: Significa “impressões”, ou seja, visualização do anúncio.
* CTR: É o “clickthrough rate” e identifica a percentagem dos cliques em relação às visualizações do anúncio.
* Avg. CPC: É o custo médio por clique que efectivamente foi debitado.
* Cost: É a nossa factura para o anúncio durante o período de dois meses.
* Avg. Pos.: Indica a posição média do nosso anúncio.

A sua dúvida imediata poderá ser a seguinte: se recebo 10 000 visitantes durante um mês através do anúncio, pago 2000 euros? Apenas se definiu um plafon mensal tão generoso, ou seja, pelo menos de 2000 euros. Um valor mais realista para o seu platfon mensal seria algo entre 25 e 50 euros, correspondendo a um intervalo de 125 a 250 cliques por mês.

Agora já sabemos quantos visitantes recebemos através do anúncio. Mas como medimos o sucesso e a relevância do anúncio? Quantos visitantes vieram do anúncio? Quais as palavras chave que usaram? Por onde andaram a navegar no nosso site/loja? E, o mais importante, quem são os visitantes?

Fonte: Dossiês temáticos “Comércio electrónico e comunicação online” (Software e.pages)

Deixe uma resposta