Código de Barras e RFID

Tecnologias de Auto-identificação: Código de Barras e RFID.

A identificação e a rastreabilidade de mercadorias são cada vez mais imprescindíveis. Assim para automatizar e capturar a informação, os códigos barras e as tags RFID – actuais referências do mercado – permitem o rastreio, de forma segura, de qualquer objecto.

codigo-barras

Os códigos de barras utilizam vários protocolos de codificação e de simbolismos, que variam consoante a utilização e a normalização requerida. O sistema EAN UCC é, sem duvida, o mais utilizado. Trata-se de um sistema universal e baseado em etiquetas de código barras, e é utilizado por vários sectores profissionais a nível internacional. Este conjunto de standards permite a racionalização do fluxo da informação na cadeia de abastecimento global em qualquer sector de actividade.

barras2dim

Etiquetas RFID

As etiquetas ou tags RFID (Radio Frequency Identification), também designadas por etiquetas electrónicas, fazem igualmente parte da categoria das tecnologias de auto-identificação. Para soluções mais complexas e condicionadas por ambientes agressivos, as etiquetas electrónicas são, sem dúvida, uma alternativa ao código de barras.

Uma solução de identificação automática de rádio frequência é composta por um leitor RFID que transmite um sinal para uma etiqueta de rádio situada no seu campo de leitura. Quando “acordada”, a tag responde indicando, entro outros, a sua identificação única.

Ao contrário dos códigos barras, as tags RFID não necessitam que o leitor esteja perto do produto para que exista identificação do mesmo, nem que o leitor e a tag estejam numa linha directa de visão. Outra particularidade, dependendo do modelo utilizado, é a possibilidade das tags aceitarem, além da leitura, a escrita de dados, permitindo assim o enriquecimento em qualquer altura da informação de um produto ou equipamento.

A tecnologia RFID pode ser utilizada, por exemplo, para comprovar a passagem de um artigo num processo de qualidade, ou para servir de prova de uma manutenção efectuada num equipamento sensível, registando localmente a data da última inspecção e o nome do técnico responsável pelo o serviço efectuado.

Fonte: Este artigo foi gentilmente cedido pela Sinfic

Deixe uma resposta