Emails irrelevantes roubam três anos de vida

Os trabalhadores europeus despendem três anos e meio das suas vidas a responder a emails irrelevantes, conclui um estudo da Plantronics.

A análise refere que os trabalhadores gastam pelo menos duas horas diárias com o seu email, o que equivale a mais de dez anos de vida a dar atenção ao correio electrónico. Cerca de 32 por cento das mensagens recebidas e enviadas não têm importância, o que correspone aos tais três anos e meio perdidos. O estudo foi conduzido pela Henley Management College e realizado a mais de 180 gestores. Outra das conclusões revela que todos os emails enviados geram, pelo menos, quatro a seis novas mensagens no “Inbox”. «A vasta utilização do email, particularmente em transacções internas, substituem as discussões cara a cara e de voz e prolonga as tomadas de decisão.

O estudo demonstra que, utilizado eficientemente, o email pode ajudar a melhorar o processo e a partilhar informação, assim como a auxiliar a tomada de decisão, mas, se não for utilizado de forma inteligente, pode criar um ambiente de pouco contacto, o que reduz a capacidade de actuar e salvaguardar a posição. Pelo contrário, falar pelo telefone garante uma pausa na geração de e-mail, um melhor esclarecimento de dúvidas e acelera a tomada de decisão», refere a empresa em comunicado. No entanto, apesar de demonstrar a eficácia do telefone como ferramenta de comunicação, o estudo diz que os trabalhadores raramente atendem o telefone e que discutem assuntos complexos através de emails.

Mas, neste sentido, 43 por cento dos inquiridos afirma que apenas uma pequena percentagem (10 por cento) dos emails enviados transmite com clareza a mensagem pretendida. «O tempo desperdiçado em emails também tem implicações sociais, uma vez que os trabalhadores, interagem cada vez menos entre eles.

Deixe uma resposta