Email marketing, momento de oportunidade em época de crise

Diante de uma crise econômica é comum as empresas aplicarem métodos de contenção de despesas. Tudo que é visto como “supérfluo” é cortado, e muitas vezes as determinações chegam ao departamento de marketing, impondo fortes restrições às ações publicitárias da companhia. Neste contexto, o importante é buscar alternativas que permitam cortes, mas que mantenham a marca viva na mente dos clientes.

Diante das diversas mídias disponíveis no mercado – impressa, eletrônica e digital – o email marketing se destaca como canal de comunicação de retorno eficiente e que apresenta o melhor custo-benefício para campanhas de marketing.
Em recente entrevista, Walter Sabini Jr, CEO da VIRID, disse para o Portal IDGNow que o email marketing é um canal de comunicação com custo acessível, porém ressalta que para executar um bom trabalho é preciso contratar empresas éticas e estruturadas. “O email marketing é um ótimo canal e se transforma na melhor relação custo-benefício porque utiliza metodologias que gerenciam a qualidade das operações revertendo em resultados efetivos”, garante.

Segundo Sabini, em 2008, o email marketing já ultrapassa 100% de crescimento e com a crise, a expectativa é que esta porcentagem aumente ainda mais. Analisando algumas empresas, já é possível sentir certo movimento no mercado, principalmente nas que estão em contato direto com seus clientes.

Precavendo-se de situações mais complicadas, o Panamericano Viagens se reposicionou diante de suas estratégias de marketing. Dentre os meios de comunicação, a empresa utiliza os links patrocinados, email marketing e TV. Depois de certos ajustes, a agência de viagens online intensificou sua comunicação via email marketing, em detrimento de outras mídias.

Segundo Alex Todres, Gerente de Marketing do Panamericano Viagens, a melhor estratégia neste momento é trabalhar com a base de clientes o mais qualitativamente possível e isso é bastante simples para as campanhas feitas através do email marketing. A ferramenta se destaca quando a intenção é falar com várias pessoas com a mesma qualidade que se fala com apenas uma, ou seja passar uma mensagem personalizada e com o conteúdo relevante de acordo com o perfil comportamental do cliente.

A porcentagem do uso de email marketing era de 20% antes da crise. Hoje atinge 70%.O retorno do investimento chega a superar em três vezes outras mídias”, avalia Todres.

Já na Nascimento Turismo, a publicidade é realizada por revistas do segmento, patrocínio de links em buscadores, hotsites sazonais e pela divulgação de newsletter semanal, para passageiros diretos, e duas vezes por semana para agências de viagem.

Há cinco anos, a operadora utiliza o email marketing como forma de comunicação com seu público, o que representa 35% de retorno de ações de internet. A empresa considera que esse formato está entre os melhores, diante de outras mídias, visando relação custo-benefício.

Com um portfólio de produtos que cobre um roteiro mundial, a Nascimento Turismo prossegue com seu plano de mídia, mesmo diante da crise. “Devido à vasta gama de ofertas e a continuidade de nossas ações em marketing, conseguimos aumentar consideravelmente nosso volume de vendas domésticas nas últimas semanas, considerando a desaceleração das vendas nos destinos internacionais”, explica Cristiano Valverde, Diretor de Marketing Tecnologia Digital da Beweb/Grupo Nascimento Turismo. “O email marketing, combinado a outras mídias, ajuda a fortalecer a marca da nossa empresa e a efetivar negócios”, garante Valverde.

No CIESP Distrital Sul, Centro das Indústrias do Estado de São Paulo, as informações sobre atividades da organização como treinamento, palestras e ações pontuais são levadas semanalmente para os gestores das empresas associadas. Uma vez que a empresa também considera o email marketing a mídia que melhor apresenta a relação custo-benefício, o meio é utilizado em 60% de suas ações.

Para Arnaldo Wirthmann Filho, Diretor de Novos Negócios do CIESP, construir uma marca no mercado não é tarefa fácil. Portanto, em momentos de crise deve-se dobrar os esforços para mantê-la na cabeça de seus clientes.

“Uma das alternativas no CIESP é trabalhar as informações sobre suas atividades de maneira pontual e direta, através de um canal acessível. As mídias digitalizadas oferecem melhor custo e alto poder de retorno quase que instantaneamente”, ressalta o Diretor.

Ferramentas online e off line também são utilizadas pela Nielsen BM na comunicação com seu público. Na prática, o uso do e-mail marketing se tornou constante em 2003 e se intensificou nos últimos anos, representando cerca de 30% das ações.

Através de pesquisas realizadas periodicamente com expositores e visitantes de seus eventos, a Nielsen BM identificou a melhor maneira para se comunicar com o público e a preferência indicou o correio eletrônico. “Dispararmos campanha para uma base de 30.000 mil profissionais e cada envio tem um custo. Por isto, há a necessidade de ações estratégicas para os disparos também”, avalia Ligia Amorim, Diretora-Geral da Nielsen Business Media para a América Latina.

De acordo com a Diretora, a empresa deve aproveitar momentos de crise para se aproximar de parceiros, tanto clientes como fornecedores, aperfeiçoando as relações e mantendo a confiança do mercado em sua marca. “É o momento certo para fortalecer esses laços. Na Nielsen, o email marketing atinge 98% da nossa base de contatos, sendo que cerca de 70% das mensagens são lidas. Com certeza, em épocas de crise ou não, essa é uma ferramenta eficaz e de grande abrangência”, enfatiza.

Na visão de Ligia, como o email marketing é a ferramenta de comunicação escolhida por seu público, a empresa também a utiliza para newsletters, revistas eletrônicas e vídeos. “Certamente, com os retornos alcançados, os investimentos e a utilização deste sistema permanecerá no mesmo nível nos próximos meses”, afirma a Diretora.

Um artigo Virtual Target

Deixe uma resposta