Usabilidade no e-mail marketing

Em seu dia-a-dia e cada qual com seus diferentes níveis de aprendizado, os usuários de Internet interagem com sites corporativos, multimídias, extranets, emails etc. As interfaces destes sistemas têm suas próprias particularidades e objetivos, porém, todas elas devem ter como foco principal proporcionar ao usuário uma experiência agradável de interação, de forma ágil, rápida e intuitiva, sem lhe causar transtornos ou perda de tempo. Da mesma forma, as mensagens de email marketing deveriam constituir uma interface amigável ao usuário e seguir certos conceitos de usabilidade para lhe proporcionar benefícios durante a interação.

Se, por um lado, usabilidade é a facilidade com que determinada interface pode ser utilizada pelo usuário, por outro, este usuário não acha nada fácil separar os emails úteis dos inúteis em sua caixa postal diariamente. Isso quer dizer que a grande maioria dos emails enviados não está dentro dos padrões recomendados de usabilidade. Geralmente, são emails comerciais que, ao invés de proporcionar aquela boa experiência ao destinatário, só fazem com que ele experimente medo, frustrações e falhas.

A interação com a mensagem de email ocorre antes mesmo de abri-la, pois o destinatário localiza, antes, o remetente e o assunto, que são fatores determinantes para a abertura da mensagem. O Remetente deve apresentar uma informação honesta e rápida de identificar. O mesmo para o assunto, que deve ser relevante para o destinatário, sem enfeites de caracteres especiais e, preferencialmente, otimizados com até 23 caracteres, para que sejam exibidos por inteiro no espaço disponível dos principais clientes de email.

Projetar a interface de um email marketing eficiente não é o mesmo que projetar a página de um website. Cada uma destas mídias possui seus próprios objetivos e formas de interação com o usuário. Além disso, a leitura de uma mensagem de email é diferente da leitura de uma página da web, e este fator faz com que toda a diagramação do conteúdo seja pensada exclusivamente para leitura no email, geralmente instantânea e num espaço reduzido.

Aqui, começamos a falar dos elementos de IHC, Interação Humano-Computador, aplicados ao email marketing. Ícones, fontes, cores, imagens e todos os demais componentes da mensagem devem ser pensados para que o email seja acessível a todos: usuários que utilizam diferentes resoluções, cores de tela, clientes de email e sistemas operacionais, portadores de deficiências visuais e motoras, etc. Isso, aliado ao fato de que o email marketing deve transmitir a mensagem e efetuar a conversão.

No design de um email marketing, considere que menos é mais. Mantenha a simplicidade sem perder a originalidade e propicie uma visualização agradável para a informação principal. Essa recomendação vale, especialmente, para a inserção de imagens no template, de modo a não sobrecarregar o tamanho final do código. Isso inclui o logotipo do remetente, que não deve ser gigante com o propósito de identificação da marca. Para isso, inclua esta imagem (pequena) no canto superior esquerdo do template, que é o primeiro lugar visualizado pelo destinatário.

Para que a leitura seja facilitada, trabalhe com espaços em branco generosos entre os parágrafos e entrelinhas razoáveis. Textos muito “apertados” são difíceis de enxergar e cansam a leitura em pouco tempo. O tamanho da entrelinha e dos espaços em branco entre parágrafos estão condicionados ao tipo e tamanho de fonte escolhida. Não use fontes pequenas demais (inferiores a 10pt) com a desculpa de poder aproveitar o espaço disponível: pior do que ler pouca coisa, é não ler nada. Na dúvida, fique com o tamanho maior.

Com a consolidação do email marketing como meio de comunicação e com suas particularidades técnicas, surge um momento vital e estratégico para os designers de interface, especialistas em usabilidade, que encontram no email marketing mais um serviço para oferecer a seus clientes e mais um nicho de mercado a explorar, com diversas oportunidades de negócios.

Um artigo Virtual Target

Deixe uma resposta